NOTÍCIAS

SALÃO NOBRE DA CÂMARA DA MURTOSA ENCHEU PARA A APRESENTAÇÃO DO LIVRO E DO VIDEO DO “GRANDE CORTEJO ETNOGRÁFICO DA TERRA MARINHOA" - Radio SFM 98.1

SALÃO NOBRE DA CÂMARA DA MURTOSA ENCHEU PARA A APRESENTAÇÃO DO LIVRO E DO VIDEO DO “GRANDE CORTEJO ETNOGRÁFICO DA TERRA MARINHOA"

Cerca de 200 pessoas encheram, por completo, o salão nobre dos Paços do Município da Murtosa, no passado domingo, dia 26 de outubro, para a apresentação do livro e do documentário, que registam, para memória futura, o “Grande Cortejo Etnográfico da Terra Marinhoa”, realizado no passado mês de agosto, no centro da freguesia do Bunheiro. A iniciativa inseriu-se no programa comemorativo dos 88 anos da criação do Concelho da Murtosa, organizado pela Câmara Municipal.

Perante a numerosa plateia, onde se incluíam muitos daqueles que participaram, ativamente, no cortejo, o Presidente da Câmara Municipal, Eng. Joaquim Baptista, deu as boas vindas aos presentes, enaltecendo o forte envolvimento e empenhamento de todos os intervenientes na materialização do cortejo, que exaltou e valorizou a cultura e os saberes marinhões, na senda de um conjunto de iniciativas de divulgação da matriz identitária Murtoseira, levadas a cabo nos últimos anos.

De seguida o Eng. Daniel Bastos, Vereador da Câmara Municipal e membro do Rancho Folclórico “Os Camponeses da Beira-Ria - coletividade que, em conjunto com o Rancho Folclórico “As Andorinhas de S. Silvestre, assumiu a tarefa de liderar a equipa coordenadora do cortejo - falou acerca do intenso trabalho de preparação do evento, da escolha dos quadros a recriar à seleção da indumentária, passando pelos contactos com proprietários de animais, carros e alfaias agrícolas. Referiu que, das cerca de 150 pessoas que participaram no desfile, apenas 60 estavam ligadas aos dois ranchos, facto que demonstra bem o fortíssimo envolvimento da comunidade no evento.

Por último, o Vice-Presidente da Câmara, Eng. Januário Cunha, apresentou, de forma sucinta, o livro e o vídeo da recriação, realçando as duas características fundamentais do trabalho: por um lado, a reprodução fiel de todos os quadros que saíram à rua e, por outro lado, um enquadramento simples e intuitivo, através dos textos, das cenas, que facilitam a compreensão, por parte dos leitores e espetadores, de todos os aspetos recriados. Frisou a importância dos registos, que passam a constituir um acervo documental disponível a todos os cidadãos, em particular aos jovens das escolas do Concelho, que assim podem tomar contacto com um conjunto de vivências que fazem parte da identidade social e cultural da comunidade onde se inserem.

Seguiu-se a projeção do documentário, que arrancou, no final, um fortíssimo e entusiástico aplauso da numerosa assistência. A todos aqueles que marcaram presença na sessão, a Câmara Municipal ofertou um exemplar do livro.



SFM TV